Empreendedorismo se torna matéria obrigatória no ensino técnico

Brasília – A deputada federal Marinha Raupp (PMDB/RO) participou do Encontro Nacional de Educação Empreendedora promovido pelo Sebrae. No evento foi anunciado que a partir do próximo semestre, estudantes de 15 cursos da rede pública de ensino técnico passam a ter a disciplina de empreendedorismo em seus currículos. O acordo de cooperação técnica entre o Sebrae e o Ministério da Educação, que cria no país o Pronatec Empreendedor, prevê ainda a capacitação de sete mil professores até 2014 e a oferta de aproximadamente mil bolsas de estudo para os professores interessados em cursos de especialização e/ou mestrado em educação empreendedora.

O evento contou com a participação do vice-presidente da República, Michel Temer, do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, do presidente do Sebrae, Luiz Barretto, além de representantes de Rondônia. Segundo Michel Termer a parceria acelera o crescimento do país e incentiva a criação de novos cursos técnicos. “O Sebrae se junta ao Ministério da Educação para cuidar do empreendedorismo. O Sebrae caminha cada vez mais para ajudar no desenvolvimento do país”, afirmou Temer.

Marinha Raupp lembrou que o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) dá ao jovem a oportunidade de empreender, além de desenvolver competências fundamentais para a vida pessoal e mercado de trabalho. A deputada lembrou ainda que o país precisa de uma cultura de inovação e empreendedora voltada para o jovem, para aumentar a produtividade e competitividade do Brasil.

Criado em outubro de 2011, o Pronatec tem como objetivo principal expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de Educação Profissional e Tecnológica (EPT) para a população brasileira. Para isso, prevê subprogramas, projetos e ações de assistência técnica e financeira que, juntos, oferecerão oito milhões de vagas a brasileiros de diferentes perfis até 2014. Os subprogramas proporcionam formação para o trabalho a adolescentes, jovens e adultos nas redes estaduais e federais de nível médio  de Educação Profissional e Tecnológica (EPT), além do Sistema Nacional de Aprendizagem (SNA).